Decisões judiciais garantem Transporte coletivo aos usuários de Manaus

Decisões judiciais garantem transporte coletivo aos usuários de Manaus
03/06/2018

Considerando que o transporte coletivo é essencial para a população e que não deve ser interrompido, a Justiça do Trabalho e a Justiça Estadual publicaram decisões que garantem o funcionamento do serviço aos manauaras. A greve iniciada na última terça-feira, 29/5, descumpre decisão judicial do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), da 11ª Região. Em liminar, expedida no dia, pela presidente do TRT, desembargadora Eleonora de Souza Saunier, a multa pelo descumprimento foi ampliada de R$ 30 mil para R$ 200 mil por hora de paralisação.

A Prefeitura de Manaus, em ação integrada com o Governo do Amazonas, atua para garantir o efetivo cumprimento das decisões. Com o reforço policial e do serviço de inteligência do Estado, a expectativa do prefeito Arthur Virgílio Neto é acabar com o prejuízo aos usuários, imposto pelo descumprimento das medidas judiciais que determinam a circulação da frota de ônibus.

Em mais uma decisão judicial, deferida neste domingo, 3/6, foi garantido o funcionamento da frota do transporte coletivo para esta segunda-feira, 4/6. A liminar, assinada pelo juiz plantonista Antônio Itamar de Souza Gonzaga, do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), determina que, em caso de descumprimento, a multa será de R$ 1 mil reais por hora aplicada aos motoristas das empresas concessionárias do serviço público.

Em outra decisão, desta vez solicitada pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Amazonas (Sinetram), o juiz substituto do Tribunal Regional do Trabalho da 11a Região, Gerfran Carneiro Moreira acolheu o pedido para que o Sindicato dos Trabalhadores de Transporte Rodoviário de Manaus (STTRM) não impeçam o acesso dos funcionários às empresas, tampouco a saída de veículos, e que eventuais manifestações sejam feitas a uma distância de 100 metros das entradas das garagens.

A Prefeitura de Manaus monitora desde a última terça-feira, 29/5, o movimento grevista dos operadores do Sistema de Transporte Coletivo da capital, que desobedece a decisão da Justiça do Trabalho que impedia a realização de qualquer tipo de paralisação ou ação que viesse a lesar o sistema e, consequentemente, a população, sob pena de multa.

O prefeito Arthur Virgílio Neto chegou a mediar diversas reuniões entre representantes das empresas e dos rodoviários para evitar que a população ficasse sem transporte. No último sábado, 2/6, inclusive, o prefeito e sua comitiva esteve no Centro Integrado de Controle e Comando (CICC), zona Centro-Sul, para monitorar a liberação da frota do transporte coletivo e, após telefonar para o governador Amazonino Mendes, reuniu-se com o governador em exercício, desembargador Flávio Pascarelli, de quem teve a garantia de amplo apoio no que for necessário para que não haja mais prejuízo aos usuários de ônibus.

Fonte: Prefeitura de Manaus

você pode gostar também

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Ler Mais

error: Proibido copias