Prefeitura de Manaus lança projeto ‘Primeiro Emprego a gente nunca esquece’ em escolas

 

Fotos 

A Prefeitura de Manaus lançou nesta quarta-feira, 11/5, o projeto ‘O Primeiro Emprego a gente nunca esquece’, na escola municipal Antônia Pereira, localizada no bairro Santa Etelvina, zona Norte. O projeto é desenvolvido em parceria com o Instituto Euvaldo Lodi (IEL) e tem como objetivo estimular as competências dos alunos do 9º ano para a empregabilidade e o empreendedorismo.

Os alunos receberão treinamento de instrutores do IEL, aos sábados, na unidade de ensino, durante cinco meses. Ao final da capacitação, os estudantes receberão certificados e serão indicados a vagas de emprego. O início das atividades será no próximo sábado, 14/5.

De acordo com o subsecretário de Gestão Pedagógica, Carlos Guedelha, é determinação do prefeito David Almeida e da secretária municipal de Educação, professora Dulce Almeida, realizar diversas ações educativas que visem à empregabilidade e à busca de desenvolver o empreendedorismo nos estudantes da rede municipal de ensino.

“Essas orientações são muito importantes. Orientações de nível profissional, sobre empregabilidade, e a gente não conseguiria fazer isso sozinho, então buscamos boas parcerias e hoje especificamente nós estamos aqui com o IEL. O nosso tema do ano letivo fala em construção coletiva e essa construção coletiva só é possível através das boas parcerias”, ressaltou Guedelha.

Parceria

A parceria entre a Semed e o IEL foi realizada por meio do  Núcleo de Parcerias Institucionais (Nupi), da secretaria. Ricardo Simões, coordenador do Nupi, falou sobre as tratativas com o IEL.

“O objetivo dessa capacitação é fazer com que os nossos alunos do 9º ano tenham contato com a parte de orientação vocacional, empregabilidade, empreendedorismo e que possam chegar ao ensino médio já com as noções do encaminhamento que eles pretendem para as suas profissões futuras. Depois dessa capacitação, será feita uma avaliação com o intuito de expandir para outras escolas”, acrescentou Ricardo.

A superintendente do IEL, Andrea Araújo, comentou que, depois da formação, o jovem que desejar entrar no mercado de trabalho estará mais preparado. “O jovem já inicia nas empresas de forma mais consciente, principalmente em termos de comportamento. Ele vai aprender como é que ele deve se comportar no meio para que aquela oportunidade não se perca”, explicou Andrea.

Para a aluna Agatha Loren, do 9º ano, essa é uma oportunidade única, e ela pretende aproveitar. “Vai ser um exemplo do que vamos levar para nossa vida. Achei muito útil colocar o projeto na escola também, porque tem muitos jovens que se interessam. Eu, por exemplo, pretendo me esforçar bastante”, completou Agatha.

você pode gostar também
error: Proibido copias