Novas mudanças para financiamento de imóveis pelo FGTS foram aprovadas

Nesta segunda-feira (13), o conselho curador do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) aprovou novas regras para financiamento de imóveis populares com o dinheiro do fundo. Dessa maneira, a proposta apresentada pelo MDR (Ministério do Desenvolvimento Regional) aumenta o desconto no valor do imóvel financiado por famílias que ganham até R$ 2 mil.

As novas regras aprovadas pelo conselho do FGTS também uniformizam as taxas de juros oferecidas às famílias beneficiárias do programa Casa Verde e Amarela. Além disso, a mudança também aumenta o valor dos imóveis que são enquadrados como habilitação popular, que são direcionados às famílias com renda mensal bruta de até R$ 7 mil.

É importante ressaltar que as mudanças só entram em vigor em 2022. Nesse sentido, após a publicação da resolução pelo FGTS, o MDR tem até 30 dias para regulamentar as condições operacionais que consistem em, por exemplo, detalhar como deve ser calculado o novo desconto.

Desse modo, a Caixa Econômica Federal (CEF) possui 30 dias para fazer sua própria regulamentação. Os demais agentes financeiros têm um prazo de 120 dias para adequar seus sistemas à nova norma. Ao todo, a Caixa é responsável por 67% de todo o financiamento imobiliário concedido no país.

Aumento da desconto dado pelo FGTS

O chamado desconto complemento é uma espécie de ajuda dada pelo FGTS no financiamento de imóveis. Sendo assim, o FGTS para uma parte do valor da construção ou da compra dos imóveis, para que seja possível famílias de baixa renda adquirir a habitação a partir de um menor valor.

De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Regional são considerados dois critérios para conceder o desconto pelo FGTS: a renda familiar mensal bruta e o local onde será adquirido o imóvel.

Já pelas novas regras aprovadas, outros três fatores são levados em consideração:

  • Capacidade de financiamento da família

  • Comprometimento da despesa em relação à renda média naquela unidade da federação

  • Área útil do imóvel.

Segundo o MDR, famílias com menor capacidade de financiamento vão receber uma pontuação que pode aumentar o valor do desconto recebido. A mudança foi estabelecida com o objetivo de facilitar o acesso ao crédito. Além disso, também terão mais desconto famílias que comprarem imóveis maiores, dentro da tabela de habitação popular. O MDR não especificou qual será o valor médio do desconto oferecido.

Ademais, o conselho curador do FGTS também aprovou uma atualização na tabela dos imóveis que são considerados habitação popular. Desse modo, na nova tabela, os valores do financiamento variam entre R$ 135 mil e R$ 264 mil, dependendo da região.

Mudança na taxa de juros

Dentro das novas regras, também houve uma mudança nas taxas de juros para o financiamento habitacional do programa Casa Verde e Amarela com o FGTS. Pelas normas anteriores, havia diferenças nos juros para famílias que ganham até R$ 2 mil, dependendo do imóvel que fosse adquirido.

Por fim, a proposta aprovada pelo conselho do FGTS nesta segunda-feira (13) unificou as taxas de juros para todas as famílias que ganham até R$ 2 mil mensais. Portanto, os juros finais passam a ser de 4,75% para as regiões Norte e Nordeste e de 5% para Centro-Oeste, Sul e Sudeste.

você pode gostar também

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Ler Mais

error: Proibido copias